| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

apendice1

Page history last edited by PBworks 16 years, 8 months ago

 

APÊNDICE I – TextoS  E FORMULÁRIOS utilizados na aplicação do PA

 

NOVAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA:

POR QUÊ? PARA QUÊ?

Estamos vivendo uma época de mudança conceitual muito grande, novas aprendizagens, passamos a conviver com a possibilidade de interatividade virtual em casa, na escola, no trabalho.... Hoje podemos nos comunicar pelo sistema hi-fi, conexões a rádio, adsl, discadas, etc. Desta forma pode-se dizer que o nosso planeta é um grande sistema de informações, idéias, conceitos, vivências, dentro de um contexto multicultural.

O ser humano pode escolher onde quer estar e dialogar, através das redes, nas mais diversas áreas de conhecimentos. Podemos dizer que os jovens adoram a rede de relacionamentos, tais como orkut, MSN, yahoo, entre outras. Já os educadores trabalham com várias redes para discussões, pesquisas, produções textuais, compartilhando idéias, imagens, vivências e novas teorias.

As tecnologias de informação e comunicação tem facilitado a interatividade entre as pessoas, os países, os grupos sociais, sendo que a internet é a que mais se destaca, pela facilidade de acesso, baixo custo e a liberdade de expressão. 

A internet provocou uma verdadeira revolução teórica, de construção de pensamentos e conhecimentos, de transformação de hábitos e valores, de mudança de postura educacional. Mas, como operacionalizar em sala de aula? Vamos analisar a seguinte proposta de trabalho!

PROJETOS DE APRENDIZAGEM COMO UMA PROPOSTA INOVADORA[1]

Esta proposta pedagógica para o uso dos recursos on-line em sala de aula é baseada no conceito de aprender a aprender e não o de ensinar. Segundo MAGDALENA E COSTA (2003, P. 16-17), o objetivo é de construir e não o de instruir. Tendo como idéias centrais:

·         conhecimento/construção;

·         processo interativo;

·         prática como suporte da reflexão;

·         interdisciplinaridade;

·         cooperação/reflexão/tomada de consciência;

·         autonomia.

São processos que:

·         partem das indagações dos estudantes e do conhecimento que eles já têm;

·         desenvolvem-se com a colaboração/cooperação interna e externa (diversidade);

·         rompem com horários, disciplinas, seqüências, pré-requisitos, hierarquias, espaço...;

·         fazem dos estudantes e dos professores aprendizes, construindo conhecimento interdisciplinar, em ambientes informatizados.

Nesse ambiente os estudantes podem:

·         levantar hipóteses;

·         analisar, organizar e selecionar informações para tomada de decisões conscientes;

·         desenvolver novas formas autônomas de criação, comunicação e expressão nas Ciências, Artes e Técnicas;

·         intuir, refletir e imaginar;

·         ser solidário e cooperativo.

O professor passa a ser:

·         orientador, desafiador;

·         aprendiz;

·         pesquisador;

·         inovador;

·         autônomo.

Vamos participar e construir uma comunidade dinâmica e solidária de aprendizagem. A partir de Projetos de Aprendizagem (PA) a serem construídos em grupos, compartilhando as pesquisas e experiências via  on-line, podemos  construir novas formas de aprender.

Propomos a sua operacionalização através do uso de diversos recursos metodológicos e de softwares, tais como:

·         Avaliação e organização das idéias com o uso de Mapas Conceituais - cmap tools

·         Escrita colaborativa - wiki

·         Diário de bordo - blog

·         Pesquisas on-line - buscadores de sites e imagens (google, yahoo, etc.).

·         Pesquisas bibliográficas - biblioteca escolar

·         Análise de métodos, técnicas e recursos tecnológicos específicos para cada PA proposto.

·         Discussão, seminários, fóruns, apresentação de propostas e teorias - ferramentas on-line (escolabr, e-proinfo, videoconferências, Chat, etc.).

 


 

PROJETO DE APRENDIZAGEM

WATTERSON, Bill. O Progresso Científico deu “Tilt”. São Paulo: Best Ed., 1991. p. 52-53. Vol. I.


slide errorPlugin error: That plugin is not available.

 

Joseane Cíntia Piechnicki e Rosângela Menta Mello - TIC´s na Promoção da Aprendizagem


 

 


 

IDENTIFICAÇÃO

 

Escola: Colégio Estadual Wolff Klabin - Ensino Fundamental, Médio e Normal.

Curso: Curso de Formação de Docentes na Modalidade Normal para Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental.

Série: 4º ano - Turma Integrada - Matutino.

 

Projeto de aprendizagem - Turma A (Segunda-Feira - 13h30 às 17h30min)

Tutora: Suely Xerez

Professora: Joseni Cíntia Piechnicki (Aluna do Curso: TIC´s na Promoção da Aprendizagem - turma 05)

Professora Parceira: Zélia Maria Gomes Mesquita

  

Projeto de aprendizagem - Turma B (Terça-Feira - 13h30 às 17h30min)

Tutora: Tânia Barbosa Salles Gava

Professora: Rosângela Menta Mello (Aluna do Curso: TIC´s na Promoção da Aprendizagem - turma 06)

Professora Parceira: Maria Alice Piechniki Rogel

  

Cronograma de Atividades

 

Data

Atividades a serem desenvolvidas

19 e 20/03

  • Apresentação da proposta para o grupo de estudantes e professores parceiros/convidados.

·         Leitura e discussão da HQ de Bil Watterson "O progresso científico deu Tilt" p. 42-53 e do texto  Projeto de Aprendizagem.

·         Passos para o PROJETO DE APRENDIZAGEM (PA)

o        Cada aluno levanta a sua questão de investigação.

o        Listar todas as questões de cada aluno no quadro de giz.

o        Os estudantes escolhem com qual tema querem trabalhar, não sendo necessariamente o que propôs.

o        Formar grupos de 3 a 4 pessoas.

o        Reunir o grupo e registrar  a questão central de investigação, os nomes da equipe, as primeiras dúvidas e certezas.

o        Elaborar um plano de trabalho para 4 semanas, respondendo: quando e como.

o        O grupo discutirá o encaminhamento da pesquisa, sendo importante à participação de todos nos foruns e chats, nas atividades de pesquisa e análise de dados, no uso das ferramentas propostas.

26 e 27/03

·            Iniciar as atividades reunindo o grupo para esclarecimentos das dúvidas e compartilhar as experiências.

  • Iniciar o trabalho com mapas conceituais, levando-os a compreender o seu significado, os objetivos e a montagem de mapas, através do programa cmap tolls 2.9 (versão possível de ser instalada em equipamentos antigos). Cada grupo elaborará um mapa conceitual do seu tema proposto.
  • Apresentação da ferramenta wiki e acesso a um tutorial sobre o wiki, disponível em http://proavirtualrs.pbwiki.com/dicas.
    • Registro certezas provisórias e das dúvidas temporárias.
  • Pesquisa em buscadores, por textos e imagens sobre o tema proposto.
  • Registro das atividades no diário de bordo do grupo - Blog

02 e 03/04

  • Reunião do grupo para apresentação e discussão das pesquisas realizadas, avaliação dos próximos passos.
  • Pesquisa bibliográfica e on-line do tema proposto.
  • Registro da pesquisa no wiki e das atividades realizadas no Diário de bordo.

09 e 10/04

  • Reunião do grupo para apresentação e discussão das pesquisas realizadas, avaliação dos próximos passos.
  • Sistematização das pesquisas realizadas e elaboração da síntese final do grupo no wiki.
  • Acesso e participação nas pesquisas dos demais grupos, no ambiente wiki, apresentando colaborações e registro das atividades realizadas no Diário de bordo.

07 e 08/05

  • Elaboração de mapa conceitual do grupo, apresentando os novos conceitos elaborados sobre o tema proposto.
  • Visão interdisciplinar e multidisciplinar do Projeto de Aprendizagem.
  • Discussão das viabilidades de aplicação do PA nas escolas públicas.
  • Análise e avaliação das metodologias e softwares utilizados.
  • Finalização do PA na escola.

Logomarca Governo do Paraná 

CEWK


 

COLÉGIO ESTADUAL WOLFF KLABIN

CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA MODALIDADE NORMAL

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Tecnologias

da Informação e da Comunicação na Promoção da Aprendizagem

PROF. ROSÂNGELA MENTA MELLO e PROF. JOSEANE C. PIECHNICK

 

 

DECLARAÇÃO

  

              Eu,...................................................................................................................., aluno(a) do 4° ano do Ensino Médio, do Curso de Formação de Professores na Modalidade Normal do Colégio Estadual Wolff Klabin, na Cidade de Telêmaco Borba/PR, autorizo  a veiculação na WEB do Projeto de Aprendizagem que estou desenvolvendo na escola, da imagens e outras produções realizadas, neste período, sob a orientação das alunas e orientadoras da UFRGS para a Especialização em “Tecnologias da Informação e da Comunicação na Promoção da Aprendizagem. Permito a publicação deste trabalho na Internet (World Wide Web) como descrito acima, de forma definitiva ou até que seja apresentada requisição de nossa parte, para remoção do mesmo. Estou ciente que as atividades serão desenvolvidas no período das aulas,  meses de março a maio,  nas dependências da escola.

 

 

 

Telêmaco Borba, 19 de março de 2007.

 

 

 

Assinatura do aluno(a) se maior de idade ou do responsável

 


 

 

 

PROJETO DE APRENDIZAGEM – 20/03/2007

 

Equipe:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

Tema:

___________________________________________________________________

 

Questão Central que motivou a pesquisa:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

Certezas temporárias:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 

Dúvidas provisórias:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

 


 

 

 

PROJETO DE APRENDIZAGEM – 27/03/2007

 

Equipe:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

Mapa conceitual:

 

 


 

Mapa conceitual

 

Mapas Conceituais são representações gráficas semelhantes a diagramas, que indicam relações entre conceitos ligados por palavras. Representam uma estrutura que vai desde os conceitos mais abrangentes até os menos inclusivos. São utilizados para auxiliar a ordenação e a seqüenciação hierarquizada dos conteúdos de ensino, de forma a oferecer estímulos adequados ao aluno.

Esta abordagem dos mapas conceituais está embasada em uma teoria construtivista, entendendo que o indivíduo constrói seu conhecimento e significados a partir da sua predisposição para realizar esta construção. Servem como instrumentos para facilitar o aprendizado do conteúdo sistematizado em conteúdo significativo para o aprendiz.

Novak é considerado o criador dos mapas conceituais e refere ter usado este em várias pesquisas, contemplando as diversas áreas do conhecimento.

 

UTILIZAÇÃO DE MAPAS CONCEITUAIS NA EDUCAÇÃO

  

São utilizados para auxiliar a ordenação e a seqüenciação hierarquizada dos conteúdos de ensino, de forma a oferecer estímulos adequados ao aluno. Mapas Conceituais podem ser usados como um instrumento que se aplica as diversas áreas do ensino e da aprendizagem escolar, como planejamentos de currículo, sistemas e pesquisas em educação.

 

A proposta de trabalho dos Mapas Conceituais está baseada na idéia fundamental da Psicologia Cognitiva de Ausubel que estabelece que a aprendizagem ocorre por assimilação de novos conceitos e proposições na estrutura cognitiva do aluno. Novas idéias e informações são aprendidas, na medida em que existem pontos de ancoragem. Aprendizagem implica em modificações na estrutura cognitiva e não apenas em acréscimos.

 

Segundo esta teoria, os seguintes aspectos são relevantes para a aprendizagem significativa:

·         As entradas para a aprendizagem são importantes.

·         Materiais de aprendizagem deverão ser bem organizados.

·         Novas idéias e conceitos devem ser "potencialmente significativos" para o aluno.

·         Fixando novos conceitos nas já existentes estruturas cognitivas do aluno fará com que os novos conceitos sejam relembrados.

 

Nesta perspectiva parte-se do pressuposto que o indivíduo constrói o seu conhecimento partindo da sua predisposição afetiva e seus acertos individuais. Estes mapas servem para tornar significativa a aprendizagem do aluno, que transforma o conhecimento sistematizado em conteúdo curricular, estabelecendo ligações deste novo conhecimento com os conceitos relevantes que ele já possui.

 

Esta teoria da assimilação de Ausubel, como uma teoria cognitiva, procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na mente dos seres humanos. A referida teoria dá ênfase à aprendizagem verbal, por ser esta predominante em sala de aula. Incluídas na aprendizagem significativa estão a aprendizagem por recepção e a por descoberta.

 

Mapas conceituais podem ser utilizados como:

·         Estratégia de estudo

·         Estratégia de apresentação de itens curriculares

·         Instrumento para a avaliação de aprendizagem escolar

·         Pesquisas educacionais

 

Como uma ferramenta de aprendizagem, o mapa conceitual é útil para o estudante, por exemplo, para:

·         Fazer anotações

·         Resolver problemas

·         Planejar o estudo e/ou a redação de grandes relatórios

·         Preparar-se para avaliações

·         Identificar a integração dos tópicos

 

Para os professores, os mapas conceituais podem constituir-se em poderosos auxiliares nas suas tarefas rotineiras, tais como:

·         Tornar claro os conceitos difíceis, arranjados em uma ordem sistemática

·         Auxiliar os professores a manterem-se mais atentos aos conceitos chaves e às relações entre eles

·         Auxiliar os professores a transferir uma imagem geral e clara dos tópicos e suas relações para seus estudantes

·         Reforçar a compreensão e aprendizagem por parte dos alunos

·         Permitir a visualização dos conceitos chave e resumir suas inter-relações

·         Verificar a aprendizagem e identificar conceitos mal compreendidos pelos alunos

·         Auxiliar os professores na avaliação do processo de ensino

·         Possibilitar aos professores avaliar o alcance dos objetivos pelos alunos através da identificação dos conceitos mal entendidos e dos que estão faltando

 

Segundo KAWASAKI (1996), é importante:

·         Escolher o tema a ser abordado

·         Definir o objetivo principal a ser perseguido

·         Definir a apresentação dos tópicos, colocando-os numa seqüência hierarquizada com as interligações necessárias

·         Dar conhecimento ao aluno do que se espera quanto ao que ele poderá ser capaz de realizar após a utilização do processo de aprendizagem

·         Permitir sessões de feedback, de modo que ao aluno seja possível rever seus conceitos, e ao professor avaliar o instrumento utilizado, de modo a enfatizar sempre os pontos mais relevantes do assunto, mostrando onde houve erro e promovendo recursos de ajuda.

 

SOFTWARE CMAP TOOLS

 

Investiga-se o impacto de uma ferramenta apoiada em computador e redes capaz de apoiar a construção colaborativa de mapas conceituais, desenvolvida pelo Institute for Human and Machine Cognition da UWF-Universidade de West Florida.

Mediante acordo de cooperação com a UWF, a ferramenta (servidor e cliente) foi cedida para uso no PGIE/UFRGS. Trata-se do IHMC Concept Map Software que permite aos usuários construir, navegar, compartilhar e criticar modelos de conhecimento representados como mapas conceituais.

Esta ferramenta está sendo usada pelos alunos da disciplina EDU3375- Computador na Educação e da disciplina Teledução no Pós-Graduação Informática na Educação.

Podemos encontrar o tutorial em inglês deste software no endereço: http://cmap.coginst.uwf.edu/ e o endereço para dowload é: http://cmap.coginst.uwf.edu/download/ diretamente ou pela página do PGIE e no endereço: http://www.penta2.ufrgs.br/edutools/mapasconceituais/wincmaptools291.zip.

Construímos algumas páginas com Noções básicas de como utilizar este software, que podem ser encontradas em:http://penta2.ufrgs.br/edutools/tutcmaps/tutindicecmap.htm

 

 

REFERENCIAL TEÓRICO

 

 

·         AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D. e HANESIAN, H. Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

·         FARIA, de Wilson. Mapas Conceituais: Aplicações ao ensino, currículo e avaliação. São Paulo: EPU - Temas Básicos de educação e ensino, 1995.

·         KAWASAKI, Evelise I. FERNANDES, Clóvis T. Modelos para Projeto de Cursos Hipermídia. Tese de Mestrado, Divisão de Ciência da Computação, Instituto Tecnológico da Aeronáutica. São José dos Campos, 1996.

 

 
   
 


CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – NORMAL

 

4º ANO – TURMA

 

Escreva em cada coluna, o número corresponde a seus conhecimentos sobre:

1 Nunca ouvi falar

2 Conheço superficialmente

3 Já acessei

4 Já utilizei

5 Domino bem

 

estudantes

Escrita colaborativa: wiki

Diário de bordo: Blog

Mapas Conceituais: Cmap Tools

Pesquisa on-line:

Google...

Discussão: Fórum, Chat,

1.       ALINE CRISTINA

 

 

 

 

 

2.       ALINE M. NASCIMENTO

 

 

 

 

 

3.       ALINE MENDES ARRUDA

 

 

 

 

 

4.       ANDRIELLE MAINARDES

 

 

 

 

 

5.       FRANCIELE SUTIL

 

 

 

 

 

6.       ISABEL B. BATISTA

 

 

 

 

 

7.       JOSENILSE S. RIBEIRO

 

 

 

 

 

8.       JOYCE CRISTIANE R. DE SOUZA

 

 

 

 

 

9.       JOYCE MONTEIRO

 

 

 

 

 

10.   LETÍCIA MARCONDES

 

 

 

 

 

11.   LÚCIA PISTORI RIBEIRO

 

 

 

 

 

12.   LUCINEIDE P. MARTINS

 

 

 

 

 

13.   PAULO HENRIQUE XAVIER

 

 

 

 

 

14.   PRISCILA ALVES DE ANDRADE

 

 

 

 

 

15.   QUEREN HAPUQUE

 

 

 

 

 

16.   REGINA PAULA DE OLIVEIRA

 

 

 

 

 

 


 


SUGESTÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO

 

 

·         Compreender através da análise e vivência a importância do uso de Projetos de Aprendizagem e recursos tecnológicos como possibilitadores de novas práticas pedagógicas.

·         Participar colaborativamente das atividades propostas.

 

Critérios

Qualidade

Excelente – 20

Bom – 15

Regular – 10

Insatisfatório - 5

Análise e navegação em Projetos de Aprendizagem

Identifiquei as principais características pedagógicas do projeto.

Identifiquei algumas características pedagógicas do projeto, necessitando nova navegação.

Tive dificuldades de identificação de características pedagógicas do projeto.

Não identifiquei características pedagógicas no projeto.

Participação colaborativa das atividades propostas.

Respondi a questões propostas e comentei sobre as colocações dos colegas de turma.

Respondi a questões propostas e não comentei as respostas dos colegas de turma.

Respondi parcialmente questões apresentadas pelos colegas de turma.

Não respondi nem comentei a questões levantadas pelos colegas de turma.

Compreensão dos Projetos de Aprendizagem  como possibilitadores de novas práticas pedagógicas.

Compreendi pelas atividades realizadas que os recursos tecnológicos disponíveis poderão dar suporte aos processos de ensino e de aprendizagem de conteúdos curriculares, por meio de PAs.

Compreendi pelas atividades realizadas que os recursos tecnológicos disponíveis poderão dar suporte aos processos de ensino e de aprendizagem de conteúdos curriculares, por meio de PAs, mas necessito analisar melhor a aplicação destes recursos com meus estudantes.

Vi algumas possibilidades de novas práticas pedagógicas, mas não percebo estes como possibilitadores de novas práticas pedagógicas que darão suporte aos processos de ensino e de aprendizagem de conteúdos curriculares, por meio de PAs.

Não vi possibilidades de novas práticas pedagógicas e nem percebo estes como possibilitadores de novas práticas pedagógicas que darão suporte aos processos de ensino e de aprendizagem de conteúdos curriculares, por meio de OAs.

Mapas Conceituais

Domino completamente o programa e a metodologia de construção.

Compreendi a construção dos mapas e conheço os recursos básicos do programa de edição.

Conheço o programa e a metodologia de mapas conceituais superficialmente.

Não compreendi a finalidade de se construir os mapas conceituais e não sei trabalhar com o programa.

Escrita colaborativa WIKI

Domino completamente os recursos que o programa oferece, inserindo imagens, links, novas páginas, etc.

Compreendi a construção e edição na página, conheço os recursos básicos.

Conheço o programa, navego entre as páginas e sei editar textos.

Não compreendi os recursos disponíveis e ainda não sei fazer edição.


 
   

 

PAINEL JORNAL

(micro-coletivo)

 

FOCO: gestão escolar

 

Profa. Ângela M. Sousa Lima

Profa. Adriana Regina de Jesus

 

MATERIAIS A SEREM UTILIZADOS

·         Artigos de jornal sobre vários temas;

·         Tesoura; régua; cola; pincel atômico;

·         Cartolina ou papel Kraft;

 

OBJETIVO GERAL

·         Avaliar, parcialmente, a apreensão da reflexão a respeito da gestão escolar;

 

Objetivos específicos

·         Vivenciar a prática da produção de um texto coletivo;

·         Tentar relacionar outras temáticas pertinentes à escola  e à educação com o tema gestão;

·         Construir um micro artigo, com citações e comentários do grupo;

·         Trabalhar o modo de colocar os comentários (no plural), no sentido propositivo;

·         Fazer relação entre citações e comentários (sua autoria e autoria dos demais pensadores);

·         Mostrar que é possível fazer este trabalho com estudantes. da formação de docentes;

·         Mostrar a importância das fontes, da pesquisa, do ouvir outros pontos de vista sobre o mesmo problema;

·         Mostrar a diferença entre a linguagem do artigo de jornal e o artigo científico (periódicos);

·         Recuperar leituras, conhecimentos de todos os integrantes da equipe a respeito do tema “gestão” e dos sub-temas (correlatos) sugeridos pelos artigos de jornal.

 

PASSOS DO TRABALHO

 

1º. PASSO

 

Visualização e leitura dinâmica do material

(com estudantes. da formação de docentes, pode-se entregar os artigos dias antes para que possa ler mais atentamente os materiais)

2º. PASSO

Escolher  um sub-tema, trazido pelos artigos de jornal,  para relacionar com “gestão escolar

3º. PASSO

Selecionado o tema, escolher até 5 citações, recortar e colar estas citações no painel (papel Kraft);

4º. PASSO

Escrever uma introdução, alguns comentários entre as citações e a conclusão.

(sugestão: pode-se fazer trabalhar inverso, colocar frases do grupo e depois escolher as citações que enriqueçam o texto)

 

5º. PASSO

Se utilizar das várias leituras anteriores (conhecimentos adquiridos) que cada um da equipe possui sobre gestão, para comentar, criticar, relacionar, comentar, apontar problemas e hipóteses, encontrar alternativas, etc.

 

6º. PASSO

 

No momento da escrita e na colagem da citação

Ver uso correto das fontes, no interior do texto e na lista final de referências;

·         Citação indireta (paráfrase): (SOBRENOME DO AUTOR, ANO)

·         Citação direta curta: (SOBRENOME DO AUTOR, ANO, PAGINA) uso de aspas

·         Citação direta longa: (SOBRENOME DO AUTOR, ANO, PAGINA) recuo, letra menor, espaço simples

 

7º. PASSO

 

Tempo para confeccionar o trabalho: 4 minutos

Tempo de apresentação: 10 minutos

(escolher 1 ou 2 integrantes para representar a equipe no momento da apresentação)

 

DEPOIS DE CONFECCIONADO O ARTIGO NO PAINEL, O QUE FAZER?

NOVOS PASSOS

 

1º. PASSO

 

Conversar com os estudantes sobre o “que é um artigo científico”, segundo as normas da ABNT; onde podem ser publicados;  quem pode publicar;  diferença entre artigo de jornal e artigo de periódico; valorizando o que eles pensam e lêem.

 

2º. PASSO

 

Propostas:

·         Quando é a primeira vez, o professor pode digitar todos os artigos;

·         O professor pode digitar apenas 1 para mostrar aos estudantes;

·         Pedir que os estudantes digitem seus próprios artigos na Normas da ABNT;

 

ARTIGO: ao digitarem ou verem digitado, perceberão:

·         Ética na pesquisa: fontes;

·         Regras de digitação (organização da exposição das idéias);

·         Necessidade de deixar claro no texto que frases pertencem aos autores do trabalho e que frases são de autoria dos pesquisados;

·         Importância de introduzir, desenvolver e concluir;

·         Entre outros ...

 

3º. PASSO

 

Professor faz apontamentos no texto dos estudantes, pedindo relações, teorização de alguns pontos, comentários de  algumas citações, entre outras orientações; sempre tentando “amarrar” os conhecimentos demonstrados com a temática-chave: “gestão  escolar”.

 

 

 

 

4º. PASSO

 

·         Os estudantes fazem as correções e são convidados a publicar seus artigos (compêndio para biblioteca, sistematização para jornal da cidade, revistas da área de educação, memorial para exposição, apresentação de painéis em semanas pedagógicas com estudantes, levar para algum congresso que ocorre nas IES próximas do município, etc.)

 

5º. PASSO

 

·         Sensibilizar para a vida profissional;

·         Mostrar que a pesquisa deve fazer parte da formação do educador;

·         Demonstrar a pesquisa como princípio educativo;

 

(o aluno pode fazer publicações por conta própria ao longo de sua vida)



[1] MAGDALENA, Beatriz Corso; COSTA, Íris Elizabeth Tempel. Internet na sala de aula: com a palavra, os professores. Porto Alegre: Artmed, 2003.

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.